Impresso

10 de fevereiro de 2017

Fique por dentro: Suar a camisa é sempre bom?

A professora de Educação Física da Rede de Academias Just Fit, Patrícia Lima esclarece esta duvida!

Fique por dentro:  Suar a camisa é sempre bom?

Treino de alta intensidade


Saiba que não! Afinal o aumento do suor não leva a uma maior queima calórica, mas sim à perdahídrica. “Quando nos exercitamos, produzimos energia e ela é liberada pelo organismo na formade calor. O corpo, então, aumenta a produção de suor para refrescar a superfície da pele. O que se
perde são: água e sais minerais, mas não gordura”, conta a professora de Educação Física da Rede de Academias Just Fit, Patrícia Lima.

A personal trainer conta que a sudorese pode sim, demonstrar que a perda calórica está ocorrendo porque demonstra que a atividade física está sendo feita de forma intensa, o que leva a um maior gasto energético e ao consequente emagrecimento.
“Por isso, é tão importante manter a hidratação durante os exercícios e ainda caprichar nos aeróbios, para acelerar a perda de peso, mas
não precisa se agasalhar ou fazer sauna para atingir esse objetivo”, conclui. Anotou o recado?

Alerta máximo quando o assunto é desconforto

O número é alarmante! Para o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, 27 milhões de brasileiros apresentam dores na coluna e muitos são os agravantes
para esses males. “Os fatores mais comuns são: sedentarismo, posturas corporais inadequadas adotadas no trabalho em frente ao computador, falar no
celular, atividades físicas mal orientadas, quadros de obesidade ou até mesmo momentos de lazer”, explica a fisioterapeuta da clínica de fisioterapia da Universidade Positivo, Christina Cepeda.
O diagnóstico de dores nas costas muitas vezes é encarado como simples mau jeito e essa sensação, no entanto, pode evoluir para uma doença crônica e inflamatória. “Procure realizar atividades físicas
orientadas, mantenha boa postura corporal durante o desenvolvimento das atividades laborais, ao celular, em frente à TV e na posição sentada, evite
permanecer no computador deitado na cama, cuide do peso corporal, evite carregar peso, não ultrapasse 10% do peso corporal em bolsas e mochilas (no
caso de mochilas, utilizar as duas alças próximo ao corpo)”, enumera a fisioterapeuta. Antes de procurar um médico, veja algumas dicas: alongue-se; durma de lado; coloque uma bolsa de
água quente no lugar da dor para relaxar o músculo, deite no chão ou em um colchão mais duro por meia hora; sente de maneira correta; não cruze as pernas ao
sentar e evite ficar muito tempo na mesma posição

 

Bendita hora do soninho
falta de sono pode ser sinônimo de distúrbios como obesidade, doenças cardíacas e até Alzheimer e Parkinson. Mas, se uma pessoa não sente necessidade
de dormir, ao menos seis horas por noite, sem que nenhuma doença seja diagnosticada, a causa mesmo está nos maus hábitos no momento de dormir. O psiquiatra
Diego Tavares explica que o segredo para se livrar das noites mal dormidas está escondido dentro da mente de cada um. “Nossa mente é uma máquina. Vamos imaginar que ela
seja como um celular, que precisa ser recarregado todas as noites para que possa funcionar no outro dia – é praticamente o mesmo mecanismo. Por isso, é tão essencial que
as informações recebidas durante o dia sejam bem administradas e possam ser desligadas antes de ir pra cama“, descreve o psiquiatra. Dr. Diego Tavares oferece dicas básicas
para ter uma noite reparadora e um cérebro com funcionamento ideal para o dia seguinte.

CRIE UMA ROTINA: Tente dormir e acordar todos os dias no mesmo horário e vá para a cama mais cedo do que o costume, quando suas noites não forem de no mínimo
seis horas de sono contínuo.

EVITE ESTIMULANTES: Nunca exagere no consumo de cafés, chás, chocolates e refrigerantes de cola, aproximadamente duas horas antes de ir para a cama.

FAÇA ATIVIDADES FÍSICAS: É preciso cansar o corpo para que a mente consiga descansar.

TENHA UMA CAMA CONFORTÁVEL: Opte por travesseiros que alinhem o pescoço e o tronco e escolha um colchão adaptado às curvas anatômicas.

 

Como surgem os hematomas?
Eles ocorrem quando o sangue, que circula pelas artérias e veias, deixa o interior dos vasos sanguíneos e se aloja em outras partes do corpo. “A gravidade do
hematoma varia conforme o local onde ele se forma, seja perto ou não dos órgãos e seu tamanho pode ou não comprometer o bom funcionamento de outros
órgãos. Os hematomas que observamos na pele após pancadas ou coletas de sangue, são formados pelo sangue que extravasa de pequenos vasos sanguíneos
que se rompem em decorrência do trauma local. Este sangue extravasado não volta a circular e só desaparecerá
quando for completamente absorvido pelas células de defesa de nosso corpo, o que leva dias”, explica Erich de Paula, médico hematologista e membro do
Comitê de Trombose da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH).
Hematomas na pele, surgidos após qualquer tipo de pancada, tendem a não ocasionar risco para a saúde, desde que tenham tamanho pequeno, restrito ao
local do trauma e autolimitado, ou seja, que deixam de crescer espontaneamente, devido à ativação da coagulação do sangue. Dr. Erich de Paula alerta que a
preocupação deve existir quando os hematomas surgem de repente, sem que tenha havido qualquer trauma e em diferentes partes do corpo. Esses
aparecimentos podem signifi car alteração da capacidade de coagulação do sangue, especialmente se surgir de forma abrupta em alguém que não apresentava esta tendência.
“Outro sinal de alarme é quando os hematomas surgem juntamente com outros tipos de sangramento (gengiva, nariz, etc), em intensidade diferente do
normal para aquele paciente. É importante reconhecer que há pessoas que apresentam uma tendência a formarem mais hematomas, às vezes mediante traumas
mínimos ou simples aumentos da pressão sobre os vasos (por exemplo, um cinto muito apertado, ou o apoio prolongado da coxa contra uma mesa), sem
que isso represente uma doença”, salienta o médico.

Outro aspecto, que merece destaque, é que alguns medicamentos muito usados, como a aspirina, também são determinantes para o aumento da
chance de formação de hematomas. Alerta máximo!

Fonte: REVISTA SUPLEMENTAÇÃO - ANO 09 - EDIÇÃO Nº44

Imprimir Enviar por email
  • Banner
  • Banner
  • Banner