Matérias

31 de janeiro de 2017

O fim da guerra contra a balança está próximo

Vigilantes do peso

 O fim da guerra contra a balança está próximo

Aliados da saúde

Dez quilos a serem eliminados. O número está na ponta da língua das dezenas de mulheres que chegam às 450 reuniões semanais do Vigilantes do Peso realizadas em todo o país. Mesmo que não corresponda à realidade, já que muitas não terão essa meta estipulada pelas orientadoras – que calculam com base na tabela da Organização Mundial de Saúde (OMS) o peso saudável de cada nova associada e sugerem uma perda de acordo os hábitos e o peso ideal para cada uma delas – 10 é quase um número cabalístico. Há vezes em que sete seriam suficientes, e outras bem mais do que isso. Leva tempo e disciplina, mas com mudanças muitas vezes não tão radicais, é possível chegar ao Carnaval de 2017 já com quatro quilos a menos. Sem milagre, apenas com controle, é possível eliminar um quilo a menos por semana.

Com Maria Aparecida, associada de São Paulo, que passou a fazer parte do programa em outubro de 2016, foi exatamente assim. Após tentar diferentes métodos e dietas, trocou a imersão de alimentos no óleo pela forma untada no forno, adotou o programa, e assistiu na balança à queda de até 1 quilo por semana. Em dezembro, a balança marcava 8 quilos a menos.

Para Marcela Fucci, orientadora do Vigilantes do Peso que ministra reuniões em cinco bairros da capital paulista, as reuniões do Vigilantes do Peso fazem toda a diferença na adoção de uma vida mais saudável. Associada vitalícia, há 16 anos conheceu o programa e mudou não só sua vida, mas a de seus filhos. Sedentária, havia parado de fumar e engordou rapidamente cinco quilos. “Eu estava disposta a uma mudança e a perda de peso, para mim, foi secundária. Passei a me alimentar melhor, comer frutas, legumes, beber água e a praticar exercícios e dar exemplo para meus filhos pequenos, que até hoje têm hábitos saudáveis”, conta a orientadora, que já chegou ministrar reuniões para cem pessoas e comemora o sucesso mais recente de um dos associados, que ao longo de 2016, mais precisamente entre 05 de janeiro e 25 de dezembro, emagreceu 40 quilos, sem remédios ou cirurgia.

Um dos grandes motivos de sucesso, não só para a orientadora e os associados, mas comprovado por pesquisas realizadas pelo Vigilantes do Pesos e a Weight Watchers, nos Estados Unidos, é a reunião. De acordo com estudo clínico feito em 2013 com cerca de 300 pessoas, em que metade fez dieta por conta própria e a outra metade compareceu aos encontros em grupo e usou o aplicativo para celular e as ferramentas online do Vigilantes, o grupo que que seguiu o programa conseguiu, em seis meses, uma redução da massa corporal oito vezes maior e uma perda de 5% a 10% do peso inicial. “A reunião motiva e o tema falado ali fica na cabeça ao longo da semana. Ali é um momento em que está todo mundo se percebendo e em que a gente tem mais consciência sobre o que fazer para ter mais qualidade de vida. A gente entende de forma holística a perda de peso”, resume Marcela.

Janeiro é quando há a maior procura por mudança de vida e perda de peso, principalmente para quem perdeu o controle durantes os jantares e férias. E, comprovadamente, as festas de fim de ano têm outro peso para quem já segue o programa do Vigilantes, já que os associados que continuam seguindo e mantendo a contagem de pontos durante as festas ganham 0,5 quilo, em média, em janeiro. Já quem resolve largar tudo e retomar com o novo ano chega a engordar 3 quilos.

Quando vem à mente dieta, sopas e saladas tomam conta da imaginação, e o hambúrger, feijoada, queijos e massas se tornam vilões ainda mais desejados. Mas Matheus Motta, nutricionista do Vigilantes do Peso, dá algumas dicas para garantir uma vida social normal a quem quer perder peso, disponíveis na nova coleção de livros “+ leve”, divididos em seis categorias: Entradas e Petiscos, Café da Manhã, Pratos Leves, Pratos Pricipais, Acompanhamentos e Sobremesas. Veja algumas sugestões abaixo:

TORTILLAS
É difícil encontrar substituto para os deliciosos chips de tortilhas quando se está à procura de algo crocante e um pouco salgado para comer. Tenha controle da porção que você vai consumir. Elas combinarão bem com molhos tipo salsa e outros molhos com baixo teor de gordura ou como base no preparo de nachos. Quebre os chips e espalhe sobre sopas, saladas ou chilli. Para obter mais sabor, procure por tortilhas preparadas com fubá de milho. Se estiver de olho no consumo de sódio, procure por chips sem adição de sal.

AZEITONAS
Puras ou para dar um toque a mais em tira-gostos, saladas, sanduíches e muito mais, as saborosas azeitonas possuem uma quantidade de gordura que não faz mal ao coração e são uma boa pedida na hora do lanche. Nossa sugestão é evitar as enlatadas e dar preferência para as azeitonas comercializadas a granel; em geral, estas são mais gostosas, têm uma textura mais agradável e são mais bonitas. Se precisar tirar o caroço antes de picá-las, coloque-as sobre uma tábua de cozinha e pressione uma faca deitada até que a azeitona quebre.

PIPOCA
Repleta de fibras, a pipoca, se preparada sem óleo ou manteiga, é também um alimento de baixo teor de gordura. Tenha uma pipoqueira eletrônica ou compre as opções light para micro-ondas. Experimente fazer em casa: Coloque o milho em um saco de papel pardo, feche bem o saco dobrando a abertura, coloque-o no centro do micro-ondas e cozinhe até que diminua o tempo entre o estouro dos milhos - demora aproximadamente 2 minutos. Tempere a pipoca com pimenta chilli, sal com alho, queijo parmesão ralado, coco ralado ou com seu tempero predileto. Borrife levemente o spray de óleo para umedecer as pipocas antes de temperá-las, isso ajudará a reter o tempero.

Fonte: grupomaquina.com

Imprimir Enviar por email
  • Banner
  • Banner
  • Banner