Matérias

01 de de 2017

Stress pode atrapalhar busca pelo corpo perfeito

Endocrinologista especialista em avaliação hormonal e metabólica explica como age novo nutracêutico Modulip GC, que reduz os malefícios do Cortisol e impede que as terminações nervosas responsáveis pela quebra das células de gordura fiquem comprometidas, mesmo com níveis altos de estresse

Stress pode atrapalhar busca pelo corpo perfeito

Stress diminui a qualidade de vida.

Para quem deseja um corpo bem delineado, nem sempre a atividade física é suficiente, principalmente se o nível de estresse está alto. Isso ocorre porque diante de uma situação de estresse crônico, as terminações nervosas que estão localizadas no tecido branco adiposo - responsáveis por manter a capacidade de lipólise (quebra das células de gordura) e o bom funcionamento do metabolismo celular do organismo - ficam comprometidas. Com isso, há um aumento do cortisol e um consequente aumento da gordura abdominal, segundo a endocrinologista Dra. Suzikelli Lisboa Souza, especialista em avaliação hormonal e metabólica. “E o aumento de gordura visceral significa aumentar a pressão arterial e o risco de diabetes, quer dizer, uma série de implicações acontece por conta do seu aumento”, complementa.

Mas uma cápsula manipulada age justamente anulando os efeitos negativos do cortisol e é a nova aliada para conquista de um corpo bem delineado: é o Modulip GC Oral, um peptídeo neuroprotetor e modulador do cortisol, desenvolvido pelo laboratório da Exsymol, em Mônaco, e com exclusiva distribuição da Biotec Dermocosméticos. Segundo a endocrinologista, se o paciente melhorar o aspecto da alimentação e exercício, o Modulip GC funciona muito bem e pode ser uma ferramenta para conquistar um corpo mais delineado.

A farmacêutica e consultora técnica da Biotec Dermocosméticos, Mika Yamaguchi, ressalta que o Modulip GC é único no mercado, pois atua por um mecanismo de neuroproteção, quer dizer, mesmo com a presença do cortisol, as terminações nervosas são capazes de continuar a comunicação com o cérebro. “Portanto, mesmo estressado e com o cortisol alto, o sistema nervoso receberá a mensagem de que deve continuar realizando a quebra de gordura, assim é possível diminuir o acúmulo de gordura abdominal, uma das mais difíceis de ser eliminada, e controlar a vontade do paciente de ingerir doces”, afirma a especialista.

Para a endocrinologista Dra. Suzikelli Lisboa Souza, que prescreve o nutracêutico desde junho, outros pontos de destaque do ativo agem em conjunto para favorecer a queima de gordura: melhora da fadiga, do cansaço e da qualidade do sono, além de dar mais disposição. “É bom conseguir melhorar nesse aspecto e melhorar também a lipogênese, tentar fazer com que a via de queima de gordura ou via lipolítica sempre seja ativa e não inibida. Com isso, falamos da glicose e de melhorar o efeito de queima de gordura. E o Modulip GC melhora o cortisol, o sono e, se melhora o sono, melhora a reparação, já que todo o processo celular de reparação e ganho da massa muscular acontece no período noturno, então, se não houver a noite de sono adequada, não há melhora”, destaca a endocrinologista. “Trazer esse indivíduo para a sua rotina diária normal é algo fantástico, ou seja, ele consegue produzir como antes, não se tornou improdutivo. A melhora do padrão da glicemia de jejum também foi observada”, enfatiza.

Segundo a médica, cada paciente requer uma avaliação, que é importante para verificar quais tratamentos podem ser associados. “Eu digo que nessa bagunça hormonal não devemos trabalhar o indivíduo de forma isolada. Então, uso o Modulip GC, mas também gosto de associar com o Glycoxil, para não “açucarar” – já que ele sofre um processo nesse sentido. Trabalhar com é Coenzima Q10, ou seja, dando bastante energia a esse paciente e, se ele está fadigado e cansado, precisa de ATP, energia. Fazer sinergia com outros princípios ativos é fundamental”, finaliza.

As cápsulas devem ser manipuladas nas farmácias de manipulação, com prescrição médica ou nutricional que orientaram a dosagem correta para cada pessoa.

 

Fonte: Dr. Renato Augusto Neves

Imprimir Enviar por email
  • Banner
  • Banner
  • Banner